REDESCOBRIDORES DA ALMA!

sábado, 18 de novembro de 2017

Do Que Preciso By Patrícia Pinna




Não é do ouro que reluz
E, com sua luz, muito seduz
Não é a voz teórica , prenha
De promessas esperando
O tempo do parto delicado


Do que preciso é invisível
Sentido ao gesto simples
Ao que semeia no útero
A força da vida verossímil


Não é de ilusão o cavalo
O castelo e a areia
É de rocha a estrutura
O cavalgar imponente
Predizendo o sentimento


O que preciso é rasgar os tecidos
Que compõem meu corpo
E refazer, a meu gosto
A obra de poder viver
Plena, coberta de fina flor
De felicidade e amor
É disso do que preciso!


Autoria: Patrícia Pinna
Todos os direitos reservados
Imagens: Internet






quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Sobrenomes do Amor By Patrícia Pinna



Amor é cuidado
Amor é entrega
Amor é felicidade
Amor é brilho no olhar
Amor é outra dimensão
Amor é vida
Amor é a prisão mais libertária
Amor é a conjunção de almas
Amor é o ápice
Amor é verdade
Amor é eterno
Amor é respeito
Amor é credulidade
Amor é atitude
Amor é ouvir
Amor é diálogo
Amor é infinito
Amor é exceção
Amor é delicadeza
Amor é riqueza
Amor é alimento
Amor é parceria
Amor é poder!


Autoria: Patrícia Pinna
Todos os direitos autorais protegidos por Lei.
Imagem:Internet. 


sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Escravidão! By Patrícia Pinna



Amar-te trouxe dor, açoite
Dos escravos na senzala
Muitas chicotadas, pele à vista
Sangue escorrendo pelo corpo, feridas
Quase morrendo de fome e de sede
Parco alimento para estar de pé!
Olhos turvos em meio ao sofrimento
Entre algumas danças de libertação
Raros momentos, interrompidos pelo cruel feitor
Mantinha-se a fé, a crença na soltura
E olhos voltados para a luz das estrelas

Pés descalços, grossos e doridos 
Banhados pela areia pesada encharcando seus dedos
Lombo marcado tentando um pouco descansar
Aliviar seus muitos pesos, dar um sentido à vida obscura
Cheirando a enxofre, sem rimas, desengano

Clamando aos seus Orixás, a limpeza da alma
A cura das feridas, o sorriso, ausência de morte
Contemplando a estrela-norte, a Natureza
Antes de desfalecer de vez sem a bênção
Em seu espírito levar, purificar e entrar noutro plano!


Autoria: Patrícia Pinna
Imagem: Internet.
Todos os direitos reservados e protegidos por Lei.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Tombo de Guerra By Patrícia Pinna



Uma indecisão da minha provável decisão
Cerro os olhos e clamo aos céus
Vendo a dificuldade, moradia implacável
Do meu ser coabitando em duplicidade

Guerreio eu com tantos pensamentos
Ao léu do destempero, quase perco a guerra
Mas viva ainda está uma fresta por onde
Passa a espada por sob os panos grossos

Venço a nebulosidade e enxergo com olhos puros
Rendo-me ao refrigério de instantes e ouço
Ouço as mais belas vozes celestiais
A cantar em coro afinado de paz

Só que esse tempo é arredio, e feito cavalo arisco
Tomba-me ao chão, deixando-me em prostração
Acabaram as forças da esperada revolução, feitiço
Com ele veio a força da tempestade...

Autoria:Patrícia Pinna
Todos os direitos autorais reservados e protegidos por lei.
Imagem: Internet.



sábado, 9 de setembro de 2017

Prenúncio By Patrícia Pinna



O vento mostra-se no balançar
Da lona azul e das folhas das árvores
Num silêncio desafiador da introspecção
Algo não visto, esquecido
No âmago do sentimento

Pousa a lágrima num gotejar escasso
Intenso e estranho
Fora um oco pensamento
Condensado com o passado
Num frio de solidão

Eis a fórmula para a compreensão do eu
Onde Anjos cantam aos ouvidos
Lembrando do amor
Da nossa PRÓPRIA companhia

E, os vales e labirintos
As subidas e descidas
De muitos andares
Levam-nos às descobertas
Possibilidades e intensidade

Vejo eu o prenúncio de vida nova
Que ainda não enxerguei
Mas a alma antecipa o olhar
Cobrindo de beleza e certeza
O nada do caminho ainda por trilhar.

Autoria:Patrícia Pinna
Todos os direitos protegidos por Lei
Imagem:Internet




domingo, 20 de agosto de 2017

Sina By Patrícia Pinna





Feito uma fina flor, exuberante em seu aroma
Precisa respirar o ar noturno
Longe da confusão diurna
E suas palpitações

Sorvera o escudo como proteção
O silêncio, sua meditação
E o luar como a comida a lhe fartar
Sem mais nada precisar

Surpreendera-se consigo mesma e sua fragilidade
Depositada ao Altar lindo e delicado
Num jardim de muitas espécies de flores
E nuvens a lhe fazer companhia

Viu-se esparramada em sua alma
Calada, atenta e indisciplinada
Questionara o seu interior, nada entendera
Voltara para si o olhar e vira tantas formas
Num rosto de expressões distorcidas
Desaprendera a identificá-las
Sina!


Autoria: Patrícia Pinna

Todos os direitos autorais reservados por Lei
Imagens: Internet.



quarta-feira, 26 de julho de 2017

Madrugada de Encanto By Patrícia Pinna



Havia na madrugada um encanto
Ressoando voz masculina
Ao suave tímpano meu
Fez eco na penumbra do quarto
E lembrança gostosa de vida

Servia desejos, beijos , festejos
Interiores bem delineados
Por amores silenciosos
Ansiosos de não terem fim

O mais simples denunciava 
A rouquidão dos sussurros
Nos muitos uivos de loba
E o espelho refletia sua gula

Garras na pele parda
Fadada ao exagero, domínio
Sons de violino, balbucio
O acorde mais afinado, evidencio!


Autoria: Patrícia Pinna
Direitos autorais protegidos por Lei
Imagens:Internet.


sexta-feira, 14 de julho de 2017

Abraço do Universo By Patrícia Pinna




Suavemente cerra os meus olhos
Uma flor aveludada, pousando sua pétala
No meu interior partido feito rocha
Com tantas fissuras, formas e tamanhos
Não ousaria mensurar a dimensão desse grilhão

Vem com a poesia, com canto do pássaro
Acalmar minha respiração, relaxar
E, o ritmo desanuviar, ao eixo voltar
Energizar as emoções , desfazer o laço

E, num abraço do Universo, regressar
Ao momento de paz, sorriso, comunhão
Purificar minh'alma com a saúde do perdão
Em milímetros de partículas, respirando no ar

Bendita condução que a mim não pertence
São elos de visão de um Ser superior
A proteção sentida regada ao amor
Uma luz mansa e envolvente em sua cor
A essência do Divino e sua manifestação!


Autoria: Patrícia Pinna
Todos os direitos autorais protegidos por Lei
Imagem: Internet
Vídeo: You Tube



terça-feira, 4 de julho de 2017

Intuição By Patrícia Pinna



Intuindo como se uma voz intrusa e insistente
Abrisse o canal da alma
A despetalar o íntimo fragilizado
Ressoando um legítimo sentir
Transparente e cortante tal qual vidro
Espessura fina de fácil quebrar

Uma luz fortemente intensa e tensa
Reflexo fiel da retina , sem neblina
Sinalizando o triste instante opressor
A dor,a angústia, a lágrima
Quase dando certeza dos vultos vistos

E os detalhes tomam formas gigantescas
As neuroses sobem com as ondas
De muitos metros num dia de ressaca
Vento forte, pouca gente,solidão

Seguem as intuições , seguem passos lentos
Seguem os incômodos do coração
Os caminhos sem direção
A voz embargada, os cortes ,as quedas
As premonições !

Autoria: Patrícia Pinna
Todos os direitos autorais reservados
Imagem: Internet



sábado, 24 de junho de 2017

Morada By Patrícia Pinna



Eu quero paz
Amor 
Saúde
Um canto só meu( nosso)
Isso me deixaria em paz, mais intensa e feliz
Desde que as paredes fossem feitas de alma
O teto de espírito
E o chão de forte raiz!


Autoria:Patrícia Pinna

Todos os direitos reservados
Imagem: Internet.